Agricultura Familiar: um recomeço

A expositora Maria Ceni da Costa, na banca 13 do Pavilhão da Agricultura Familiar – Crédito: Gisele Barbosa
A expositora Maria Ceni da Costa, na banca 13 do Pavilhão da Agricultura Familiar – Crédito: Gisele Barbosa
Segundo levantamento realizado pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag-RS), os agricultores familiares são responsáveis por uma produção de 70% dos alimentos que chegam à mesa dos brasileiros.

Por Gisele Barbosa
Jornalismo Econômico / Manhã

O casal de aposentados da cidade de Bom Retiro do Sul encontrou, na agroindústria, um novo modo de viver, e o primeiro sonho realizado foi a participação na 18ª edição da Feira da Agricultura Familiar do Parque de Exposições Assis Brasil. “O sol ainda demora a nascer, mas o som que sai da cozinha, às quatro horas da manhã, é rotineiro em nossa casa”. Foi assim que iniciamos nossa conversa, na Banca 13, do Pavilhão da Agricultura Familiar da 39ª Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários (Expointer).

Produtos do Pavilhão da Agricultura Familiar - Crédito: Gisele Barbosa
Produtos do Pavilhão da Agricultura Familiar – Crédito: Gisele Barbosa

Antônio Jorge da Costa, 64 anos, e Maria Ceni da Costa, 60 anos, formam a pequena empresa Antonique. Há dois anos, o casal de aposentados optou por viver da agroindústria, e a parceria de 40 anos de casados ganhou mais força neste ano. É a primeira vez que os agricultores vêm à Expointer como expositores. Nesta edição, o Pavilhão da Agricultura Familiar recebe cerca de 227 expositores de queijos, vinhos, sucos, embutidos, artesanato, plantas e flores, produzidos por 1.607 famílias de pequenos agricultores no Estado.

A Banca 13 do Pavilhão é simples, sem embalagens coloridas e com quatro variedades de produtos. Isso não impediu que, no primeiro final de semana da feira, as vendas superassem o esperado. Segundo Nique, como Maria é conhecida em sua cidade, a procura por pequenas embalagens de rapaduras foi grande. Mais da metade produzidas para os nove dias de Expointer foi vendida no primeiro final de semana. “O Antônio teve até quer ir para casa preparar mais produtos”, comentou.

Entre os produtos que a família trouxe para a Expointer estão o melado batido, doce de frutas, melado fino e a rapadura. A produção, que mobilizou toda a família, rendeu mais de 200 quilos de cada produto. Os dois filhos do casal se desdobraram para ajudar os pais no projeto. Quando perguntei sobre a experiência nos primeiros dias de exposição, a agricultora respondeu com um sorriso tímido: “É tão bom realizarmos sonhos, é nossa primeira Expointer, mas já estamos pensando no próximo ano”, disse. A expectativa da família era arrecadar cerca de cinco salários mínimos durante os nove dias de exposição.

Na cidade de Bom Retiro do Sul, os agricultores já conquistaram consumidores assíduos. Em algumas escolas da cidade, é possível encontrar produtos do casal na merenda escolar. O cuidado no momento da produção é grande. Os produtos da Antonique são produzidos totalmente sem agrotóxicos e, para eles, o próximo passo é formalizar ainda mais seu espaço no mercado de orgânicos.

De Bom Retiro do Sul para a 39ª Expointer – Crédito: Gisele Barbosa
De Bom Retiro do Sul para a 39ª Expointer – Crédito: Gisele Barbosa
Queda no retorno dos investimentos

O primeiro final de semana da 18ª edição da Feira da Agricultura Familiar trouxe resultados positivos. Segundo Mila Noronha, Engenheira Agrícola da Associação Riograndense de Empreendimentos de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater -RS), esta edição começou com o crescimento de 10% no volume de vendas, em relação ao mesmo período da edição anterior. Mas a chuva insistente afastou os visitantes do Pavilhão, e as vendas das agroindústrias alcançaram R$ 2.033.801,66, valor levemente inferior aos R$2.200.504,99 faturados em 2015. Para a Engenheira Agrícola, a chuva intensa e a questão econômica do país influenciaram os negócios desta edição.

Uma das apostas para este ano foi a ilha de produtos orgânicos. No total, 16 estandes ofereceram produtos como: sucos, vinhos, sementes crioulas, chás, temperos, cachaças, panificados, frutas nativas, arroz, melado, doces e geleias.

18ª Feira da Agricultura Familiar

O Pavilhão da Agricultura Familiar é organizado pela Secretaria do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR) e pela Secretaria Especial da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário. A comissão organizadora é composta pela Emater-RS, Fetag-RS, Fetraf-RS e Via Campesina.

Para o Secretário-Geral da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag-RS), Pedrinho Signori, a participação das mulheres e dos jovens se destacou na agroindústria e no Pavilhão. De acordo com Signori, dos 227 expositores, 170 agricultores foram selecionados por intermédio da Fetag-RS.

Para minimizar as dificuldades enfrentadas pelos agricultores, no momento da formalização das empresas, a Fetag-RS promove seminários que envolvem apresentação de produtos, técnicas de vendas, legislação, além de cursos de profissionalização, por meio do Sebrae. “Este ano os expositores estavam uniformizados, pensando mais em como agradar seus clientes e se destacar na feira”, explica.

Considerada a maior feira a céu aberto da América Latina, a 39ª Expointer ocorreu entre 27 de agosto e 4 de setembro e reuniu as últimas novidades da tecnologia agropecuária e agroindustrial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *